"Pardalitos do Choupal"

Associação Académica de Coimbra

Vitor Santos,jornalista d' A Bola já falecido,foi o primeiro a chamar a Académica "Pardalitos do Choupal", em crónica ao jogo da vitória sobre o Benfica por 3 a 1 na época de 1961/1962

Pardalitos estão neste momento a voar no Choupal

- EDITORES -

- José Eduardo Ferraz -

- António Alencoão-

 

Links Académicos

Agir pelos animais

BLOG convidado d'acabra.net

 Site Oficial

Mancha Negra

Somente Briosa

 Sempre Briosa

Viver a Académica

Secção de Futebol

Helder briosa

Secção de Basket

Central Briosa

Secção de Futebol - Escolas

Casa da Académica em Lisboa

- Se deseja ver aqui o seu site contacte-nos -

 

 

Blogs que têm os Pardalitos nos seus links favoritos

- Blog Belenenses -

- Beira Beira -

- O Piolho da Solum -

- Jornal Record -

- Vila Forte-

- H2solitros-

-Futebolar-

-Centro Táctico-

- Se deseja ver aqui o seu site contacte-nos -

 

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Janeiro 2009

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Setembro 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

Fevereiro 2010

Março 2010

Abril 2010

Maio 2010

Junho 2010

Julho 2010

Agosto 2010

Setembro 2010

Outubro 2010

Novembro 2010

Dezembro 2010

Janeiro 2011

Fevereiro 2011

Março 2011

Abril 2011

Maio 2011

Junho 2011

Julho 2011

Agosto 2011

Setembro 2011

Outubro 2011

Novembro 2011

Dezembro 2011

Janeiro 2012

Fevereiro 2012

Março 2012

Abril 2012

Maio 2012

Junho 2012

Julho 2012

Agosto 2012

Setembro 2012

Outubro 2012

Novembro 2012

Dezembro 2012

Janeiro 2013

Fevereiro 2013

Março 2013

Abril 2013

Maio 2013

Junho 2013

Julho 2013

Agosto 2013

Setembro 2013

Outubro 2013

Novembro 2013

 

Contactos

-Pardalitosdochoupal@gmail.com-

 

Informações

Estádio Cidade de Coimbra

Estádio Cidade de Coimbra
Inauguração: 29-10-2003
Lotação: 30000


Ano da fundação: 03-11-1887
Rua Infanta D. Maria, 23 - 3030-330
Nº de sócios: 10336 (em 9/7/2007)
Internet: www.academica.oaf.pt

 

Image hosted by Photobucket.com  

 

Pardalitos nº:

Free counter and web stats

Pardalitos a voar no Choupal
Pardalitos do choupal

Weblog Commenting by HaloScan.com

 

sábado, 30 de setembro de 2006

Gelson regressa após cumprir castigo *


O regresso do avançado Gelson, após cumprir castigo, e a chamada do guarda-redes Eduardo são as novidades na lista de convocados da Académica para a recepção de domingo ao Nacional, em jogo da 5.ª jornada da Liga.

O técnico da Académica, Manuel Machado, que não pode contar com o lesionado Nestor Alvarez, deixou de fora, por opção, o avançado Sarmento e o médio Paulo Sérgio. O defesa Kaká também ficou fora do lote dos eleitos, entrando para o seu lugar Danilo.

ACADÉMICA X NACIONAL : CONVOCADOS

O Prof. Manuel Machado, já definiu a lista de convocados para o jogo da quinta jornada da Liga bwin, que terá lugar amanhã às 16 horas no Estádio "Cidade de Coimbra".
Os convocados são:
24 Pedro Roma
15 Eduardo
3 Danilo
5 Alexandre
6 Roberto Brum
7 Hélder Barbosa
9 Gelson
10 Filipe Teixeira
14 Medeiros
16 Lino
18 Vítor Vinha
19 Miguel Pedro
21 Litos
25 Sonkaya
28 Nuno Piloto
29 Gyano
32 Pavlovic
77 Dame

Os percursos da Vida

Caros Académicos

Fui surpreendido, nas últimas horas pelo abandono simultâneo de três editores deste Blogue.
A vida, é feita destas coisas.
Se o João e o Santarino há já muito que a sua contribuição, embora preciosa, era pontual o Mário era de facto um caso à parte.
Para os nossos visitantes estou certo esta perda será grande,. O Mário tem uma maneira genuína de ver e de dizer as coisas. É politicamente puro, por isso às vezes tenha sido mal interpretado. Tinha os seus “fiéis “ leitores que ele tão bem sabia “cativar”.
O Blogue, estou certo , não tem ninguém à altura para o substituir. Desculpa discordar de ti Santarino , mas ele é insubstituível.
Perdendo pois algum sal, os Pardalitos terão de dar “ao chinelo” para não desapareceram no nevoeiro da Blogosfera.
Eu, e os que aqui ficam a segurar o barco tudo faremos para continuar a trazer noticias e opiniões que tenham a ver com a Associação Académica de Coimbra. Continuaremos a estar atentos à vida da nossa Instituição.
Aos que saem, esperando que reconsiderem a sua posição, formulo em voto: continuem a frequentar este espaço , que é vosso. Continuem a estar atentos , continuem a “ andar por aí”.

Machado entusiasmado com a evolução da sua Briosa *

“Agora a equipa já parece uma equipa”

Numa altura em que o progresso já se faz sentir, o técnico dos estudantes assume que dava muito jeito vencer o seu ex-clube

É através de uma ideia que tem tanto de evidente como de relevante que Manuel Machado aborda o facto de ir receber, amanhã, o Nacional, a sua ex-equipa: “Conheço-a bem, mas ela também me conhece bem.” Neste caso, conhecê-la bem leva-o a concluir que, por muito que se fantasie sobre isso, o desgaste do jogo da Taça UEFA se resolve facilmente, “pois houve jogadores habituais titulares, todos de grande qualidade, que não entraram em campo e que formam um conjunto de excelentes soluções.” Também o início assim-assim do adversário, “um adversário que é um grande problema”, se explica “pelo calendário adverso que lhe calhou”.

Já o conhecimento que os insulares têm acerca de Manuel Machado, ou dos métodos e sistemas que o treinador usa para fazer uma equipa funcionar, esse é capaz de lhes dar algum jeito, mas que lhe juntem o facto de “a Académica ter registado avanços inequívocos desde o início” da prova. “Agora, de facto, a equipa já parece uma equipa”, considera, inclusivamente, o técnico dos conimbricenses, que só quer “suprimir certos detalhes defensivos, como os do Bessa, e manter o rendimento ofensivo para poder vencer” o Nacional. “Não é só isso que nos falta, porque ainda existem mais aspectos para melhorar, mas uma vitória, neste momento, seria mesmo muito bom, como sopa no mel”, admite Machado.

*Notícia retirada do jornal O Jogo

Abandonando o Mário o leme do "Pardalitos", sigo o seu exemplo e deixo tambem de "participar" com o meu nome presente no blog, já que raras eram as vezes em que postava.
Um abraço a todos, e

VIVA A ACADÉMICA!


Balada de despedida do V ano jurídico 1989

(Rui Lucas - António Vicente / João Paulo Sousa)

Sentes que um tempo acabou,
Primavera de flores adormecida.
Qualquer coisa que não volta que voou,
Que foi um rio, um ar na tua vida.

E levas em ti guardado
O choro de uma balada,
Recordações de um passado,
O bater da velha cabra.

Capas negras de saudade,
No momento da partida.
Segredos desta cidade
Levo comigo para a vida.

Sabes que o desenho do adeus
É fogo que nos queima devagar
E, no lento cerrar dos olhos teus,
Fica a esperança de um dia aqui voltar.

E levas em ti guardado
O choro de uma balada,
Recordações de um passado,
O bater da velha cabra.

Tudo tem um fim

Tal como o meu amigo Santarino, chegou a altura de pôr um ponto final ns minha participação neste blog.
Este espaço foi e é, e espero continuar a ser, o mais lido, o mais participativo, e o mais visitado da blogosfera da Académica.
No entanto, as pessoas fartam-se de ser incompreendidas.
Algo de há algum tempo para cá correu mal. Não nos conteúdos, mas sim na estratégia.
Posso dizer sem qualquer tipo de dúvidas, que hoje faria EXACTAMENTE o mesmo que fiz até agora.
Um abraço para todos, e continuarei SEMPRE a investigar e a querer saber os danos que esta direcção tem causado à Académica.
E denunciá-lo-ei onde e quando achar necessário.
Como disse o "outro" continuarei por aí.
Mas sem que me digam alguma vez: "Não te metas nisso".
Viva a Académica!!!

Tudo na vida tem um fim.

Já aqui postava pouco.

Vou deixar de forma definitiva.

Outros virão, que de insubstituíveis está o "cemitério" cheio.

Um abraço e até um dia

Contratos...

Um dia, porque há sempre um dia, alguém terá dito a verdade sobre o "JES e seus Muchachos". A verdade, verdadinha, a quem um dia apelidou de "dizer mal", levou a Académica a empatar no Bessa.
A lógica diz-nos que, assim actuando, motiva e estimula para a vitória.
Dizer mal? Não; tão só a verdade! Para ganhar domingo.
Vamos lá "atão"!
A Direcção da Académica/OAF, recebeu uma carta de uma empresa Cervejeira, para tentar chegar a um acordo sobre um diferendo negocial.
Se a Direcção tiver juízo, chegará a acordo; se não, o que não nos admira, vai ter que pagar umas dezenas de milhares de contos: sim, CONTOS, não EUROS!

Bruno Tiago na Académica

O internacional sub-21 Bruno Tiago chegou a acordo com a Académica podendo chegar a Coimbra em Dezembro, na reabertura do mercado de transferências.
O jogador alega ter ordenados em atraso no Gil Vicente, o que lhe dará carta branca, para poder a partir do próximo ano civil representar a Briosa.
Seja bem vindo e que singre, é o que os "Pardalitos" lhe desejam.

sexta-feira, 29 de setembro de 2006

Hélder Barbosa nos sub-21

O Treinador Nacional, José Couceiro, divulgou na manhã de quinta feira , na Sede da Federação Portuguesa de Futebol (Auditório Manuel Quaresma), a lista dos convocados que vão representar a Selecção Nacional Sub-21 nos dois encontros do play-off que dá acesso ao Campeonato da Europa da categoria, que se realiza na Holanda, em 2007.
Para os jogos com a Rússia (em Moscovo e em (Pedroso, Vila Nova de Gaia), José Couceiro chamou 22 atletas.
Da Académica foi chamado Hélder Barbosa
Os Pardalitos , saúdam o atleta por mais esta convocatória

Zé António na Selecção

Scolari divulgou a lista de convocados para a dupla jornada com Azerbaijão (7 de Outubro em Lisboa) e Polónia (11 de Outubro em Chorzow). José António é a grande novidade.
O ex-atleta da Académica, que representa desde o ano transacto o clube alemão do Borussia M'gladbach, está pois a atravessar grande momento na sua carreira.
Recorde-se que o atleta foi durante dois anos o esteio da defesa Academista.
Logo no primeiro ano de preto vestido, Zé António, havia despertado a cobiça de clubes nacionais e estrangeiros, não sendo pois de estranhar a sua transferência há dois anos para a Bundesliga.
Scolari, com alguns problemas na defesa , vê assim em Zé António, o homem capaz de dar alguma tranquilidade a este sector.
Os Pardalitos, desejam assim que esta seja a primeira de muitas convocatórias.

Almeida Santos já teve alta

Almeida Santos, Presidente da Assembleia Geral da Académica, recebeu esta semana alta dos Hospitais da Universidade de Coimbra, em cujo centro de Cirurgia Cardiotorácica, tal como os Pardalitos já haviam noticiado , foi submetido a uma intervenção ao coração.
Mais uma vez os Pardalitos esperam que a sua recuperação seja rápida.

A Minha Equipa

Precisamos ganhar. Os treinadores de bancada estão ansiosos para que a equipa renda. Mas que equipa vão pôr a jogar?
Se cada cabeça, sua sentença, aqui vai a minha.

Pedro Roma
Sonkaya (Piloto)
Litos
Medeiros
Vitor Vinha (Lino)
Alexandre (Brum)
Pavlovic
Miguel Pedro
Hélder Barbosa
Filipe Teixeira
Gyano

Agora é a sua vez.

ACADÉMICA X NACIONAL

Á entrada para a 5ª jornada, a nossa Briosa, vai receber no próximo Domingo, a antiga equipa de Manuel Machado. Preve-se um jogo dificil, contra uma equipa que MM conhece bem e que como todos sabemos tem actualmente um técnico que opta habitualmente por um sistema de jogo bastante conservador, correndo poucos riscos, optando muitas vezes no seu 4.3.3. por uma dinâmica de grande contenção. Estratégicamente, o Nacional é uma equipa muitas vezes traiçoeira. Faz-se passar por uma equipa adormecida e de repente consegue transformar essa aparente apatia, em rápidas saidas para o ataque. O começo da formação Nacionalista, não foi famoso. No entanto, Benfica e Sporting, ja ficaram para trás. Outro aspecto que me parece importante, será o desgaste que a equipa irá apresentar, fruto de 120 minutos muito exigentes, dada eliminação da Taça Uefa.
Na defesa, os laterais Patacas e Alonso são jogadores muito ofensivos. Ávalos e Ricardo Fernandes são centrais fortes no jogo aéreo, perigosos nas bolas paradas, extramamente agressivos e ao mesmo tempo bastante faltosos. Podemos retirar alguma vantagem se nas bolas paradas demontrarmos a mesma qualidade que demonstrámos no Bessa. No meio campo pontificam dois jogadores de qualidade. Chainho e Bruno Amaro. Este ultimo com mais chegada á baliza adversária. Na direita, poderá jogar o ex académico Luciano. Psicológicamente, poderá ser um trunfo de Carlos Brito. A ver vamos...Depois, bom depois, devemos ter muito cuidado com a meia distancia de Spadácio e com as movimentações ofensivas de Cássio e Rogério.
Como irá MM montar a sua equipa? Helder Barbosa, fará por certo parte dos eleitos, regressando assim ao onze. O quarteto defensivo, não deverá ter grandes alterações, a não ser que MM, opte por V.Vinha e adiante Lino para a meia esquerda. No meio Brum e Pavlovic, devem voltar a ser opção. Por certo, Gyano estará novamente muito perto de voltar ao onze titular. Restam Miguel Pedro e Filipe Teixeira. E Alexandre? Bom, as opções esta época são quer em qualidade quer em quantidade bem diferentes das do ano transacto.
Se no Bessa fomos uma equipa, compacta, agressiva, personalizada e tácticamente muito inteligente, não vejo motivos para que no próximo Domingo, o contrário possa acontecer. As grandes equipas não aquelas que dominam os jogos e vão irresponsavelmente "para cima do adversário", só porque jogam em casa. Bem antes pelo contrário, são aquelas que em muitos momentos dos 90 minutos, optam por ter o adversário controlado, tentando anular os jogadores nucleares da equipa adversária, sabendo que em muitos momentos podem perder o controlo do jogo porque do outro lado está também uma equipa organizada. Por isso, ser-se treinador é diferente de ser-se espectador. Ser-se jogador, é diferente de ser-se dirigente, porque estes o que querem é muitas vezes apenas e só a bola na rede. Digo-o e reafirmo-o, o jogo é um espaço de organização e desorganição colectiva, onde prevalece muito mais vezes a inteligencia táctica, do que a força de vontade inerente a uma correria desenfriada que muitas vezes engana os espectadores, mas que espremida não dá nada. Veja-se o exemplo do Benfica na ultima 3ª feira contra o Manchester United ! Muita alma e pouca cabeça, sobretudo nos primeiros 45 minutos. É evidente que o Nacional não é o Manchester, mas penso que com o exemplo que deixei, me fiz perceber! Os jogos são para se ir "ganhando" durante os 90 minutos e não se ganham nos primeiros minutos de cada desafio! O trabalho de uma equipa é muitas vezes de paciencia...e quem a não tem...arrisca-se a perder, sobretudo quando em competição se encontram duas equipas muito equilibradas.
Vamos pois por isso, com equilibrio, atrás, no meio e á frente, tentar conquistar a primeira vitória!

VAMOS A ISSO MALTA!!!!!

BOA SORTE!!!

Bolonha obriga a alterar a praxe *

Numa licenciatura de três anos, como encaixar os actuais seis títulos de hierarquia da praxe: caloiro, semi-puto, puto, quartanista, quintanista e veterano? Estudantes vão ser chamados a dar sugestões. Bolonha também está a mexer com as vivências académicas.

A tradição diz que o estudante da Universidade de Coimbra (UC) vai no carro, momento alto da Queima das Fitas, quando frequenta o penúltimo ano do curso de licenciatura (nalguns casos o terceiro, noutros o quarto).
A tradição diz que é veterano, título mais alto na escala da hierarquia da praxe, quem tiver, no mínimo, mais uma matrícula do que o número de anos fixados para tirar o curso – deve, ainda, estar, ou no último, ou no penúltimo ano da formação.
Porém, a tradição não previa o Processo de Bolonha, que vem reduzir a duração das licenciaturas (1.º ciclo) e, pior do que isso, permitir a coexistência de cursos cujo mínimo de anos de formação necessários para habilitar ao exercício profissional pode oscilar entre os três e os seis (caso da Medicina).
Sendo assim, doravante vai ser possível imaginar que um aluno ostente o grelo na pasta e suba para o carro alegórico logo no segundo ano, ou que, no caso de frequentar um curso de três anos, seja considerado veterano ao atingir as quatro matrículas. Quando, seguindo a mesma lógica, um finalista de Medicina (matriculado, portanto, no 6.º ano), com mais tempo de vida académica, teria um estatuto inferior na hierarquia a praxe.

Os principais problemas que Bolonha coloca aos estudantes, aos professores e às instituições de ensino superior – muitas ainda a discutir as alterações nos cursos, os regimes de acesso ao 2.º ciclo e as regras de transição – não são, logicamente, estes. Mas a verdade é que o processo, que visa harmonizar, até 2010, as formações de ensino superior no espaço europeu, poderá obrigar a mudanças também ao nível dos usos e costumes da vida académica, vulgarmente designados por praxe. Ciente disto, o Conselho de Veteranos vai iniciar um debate, que deverá ser o mais alargado possível, para rever o Código da Praxe.
Quem o diz é o “dux veternorum” da UC, João Luís Jesus, que adivinha um «trabalho complicado» para, por exemplo, «reduzir a evolução da hierarquia da praxe, que assenta em seis títulos principais – caloiro, semi-puto, puto, quartanista, quintanista e veterano – a três anos». Isto, se só o novo 1.º ciclo (que pode ter três ou quatro anos) for tido em conta para a estrutura da praxe.
«Se, pelo contrário, decidir-se que serão os novos segundos ciclos (com a designação de mestrado) a fazerem parte da estrutura normal, basicamente nem sequer há alterações», observa João Luís Jesus, que preside ao Conselho de Veteranos. Segundo diz, «está tudo em discussão».
Para já, o que pode assegurar é que não deixarão de existir as actuais insígnias pessoais – grelo e fitas – podendo, provavelmente, é ser impostas em períodos diferentes.De acordo com o “dux”, «o princípio básico na praxe da UC é que é única, independentemente da Faculdade a que o estudante pertence».
Portanto, embora as «realidades dos cursos venham a ser díspares» nas oito faculdades, o trabalho vai ser feio «de modo a não haver discriminação, nem vantagens [para ninguém] em termos praxísticos», afirma João Luís Jesus.
De acordo com o “dux”, em Janeiro, e depois de ouvir o reitor – «figura que merece o máximo do respeito e a opinião dele é tida em conta obrigatoriamente», explica – os veteranos vão iniciar a discussão, que, «no mínimo, vai demorar meio ano».

Num primeiro momento, a Comissão Permanente do Conselho Veteranos (composta por quatro elementos, incluindo o “dux”) vai recolher as propostas, que podem ser apresentadas por todos os estudantes da UC e que serão, depois, compiladas.De seguida, serão cautelosamente analisadas, para que «todo e qualquer aluno, seja qual for a situação do seu curso, possa usufruir de todas as tradições académicas».A última revisão do Código da Praxe aconteceu em 2001.

*Notícia retirada do jornal Diário de Coimbra

quinta-feira, 28 de setembro de 2006

Agenda Académica




Futebol

Liga “Bwin.com”

5ª Jornada Estádio “Cidade de Coimbra 1 de Outubro de 2006 : 16 horas

Académica-Nacional

Juniores

6ª Jornada Campo de Treinos Estádio do Vizela ( relvado sintético) , 16 h, 14 de Outubro

Vizela - Académica

Juvenis

3ª Jornada Campo do Pedrulhense , Pedrulha 11h, 1 de Outubro

Académica –Sanjoanense

4ª Jornada Campo principal Porto/Gaia , 11h , 5 de Outubro

Porto-Académica

Iniciados

3ª Jornada Campo nº 3 Rio Maior, Rio Maior 11h, 1 de Outubro

Rio Maior - Académica

Secção Futebol


Campeonato Distrital da 1ª Divisão 1 de Outubro 15h

Sanjoanense - Académica

Futsal

Campeonato 2ª Divisão Pavilhão Municipal Leça da Palmeira, 30 de Setembro, 18h30

1ª Jornada Académica de Leça-Académica

Voleibol

A Académica irá disputar a Divisão A1 – Ainda não houve o sorteio


Râguebi

Campeonato Nacional da 1ª Divisão

4 ou 5 de Novembro 1ª Jornada Académica-UTAD

Basquetebol

Proliga 1ª Jornada A Académica folga a 30 de Setembro
2º Jornada Académica –Esgueira- 7 de Outubro 15h30 Pav.Multiusos

Hóquei em Patins

Campeonato 2ª Divisão

1ª Jornada 21 de Outubro 18 h Pav.Est.Univ.Coimbra
Académica-Pasteleira

Andebol

Campeonato 2ª Divisão Zona Centro

1ª Jornada 23 de Setembro

AC Sismaria 24 Académica 22

2ª Jornada

Universitário , Pavilhão 3 30 de Setembro 18h

Académica – 1º Maio

Notas Soltas

1- Ainda não foi marcada a Assembleia Geral para aprovar contas nem orçamento. Aposto o que quiserem que a justificação vai ser esta:
O Senhor Presidente da AG foi operado ao coração.
O Dr. Ricardo Castanheira está a pensar se vai ou não pedir a suspensão do mandato.
O Presidente do CF ainda não foi nomeado.
A verdade, é que já nada justifica o injustificável.
Ou talvez. Espere-se que a equipa comece a ganhar. Aí sim. A AG sem problemas pode-se fazer.
Sendo assim, mudem-se os estatutos, ou rasguem-se os mesmos. Para quê continuar a dizer que eles existem?

2- Alguma celeuma provocou as ditas declarações de Campos Coroa à Agência Lusa. Houve até quem o acusasse de poder eventualmente transmitir alguma desestabilização à equipa.
Pois bem. Tal como calculava, os jogadores e equipa técnica estão lá para jogar e lutar pela Instituição que lhe paga. Deverão SEMPRE pôr-se à margem do que lhes não diz respeito.
O resultado no Bessa está aí para me dar razão. Sugiro até, que a partir de agora, Campos Coroa não diga só metade da verdade. Que a diga TODA. Pode ser que os jogadores e equipa comece a render quanto se espera dela.

3- Alguns comentários que têm sido aprovados continuam a ser provocadores, sem conteúdos, e essencialmente provadores de carácter de rebanho e intelectualmente desonestos. Peço (e faço-o aqui por não ter hipóteses de o fazer individualmente) aos meus amigos e companheiros editores, que não deixem passar provocações e sobretudo arruaças miseráveis, a QUALQUER editor deste blog. Vamos fazer em Novembro 1 ano. A experiência diz-me que vozes de burro não chegam ao céu. Assim sendo, MAIS UMA VEZ, peço cuidado na aprovação de comentários que digam respeito aos editores (bom nome).
Para evitar respostas "sensíveis".
Não receio qualquer confrontação de ideias, note-se. Mas abandalhar o nosso bom nome, tem efeitos nocivos à ideia de discutir a Académica com boas maneiras, e sem preconceitos.
Mais do que isso é abandalhar.

4- Cai o Carmo e a Trindade. Clama-se pela "bomba". Esperem mais umas horas...

terça-feira, 26 de setembro de 2006

Bruno Paixão é o árbitro

O árbitro escolhido para dirigir a partida, entre a Académica e o Nacional, Domingo no "cidade de Coimbra" às 16h, da 5ª jornada da Liga Bwin, é o internacional Bruno Paixão da AFSetúbal.Bruno Paixão, Engenheiro de produção industrial de profissão, vai ser coadjuvado pelos senhores António Godinho e João Tomates.

Professor de Farmácia da Universidade de Coimbra recebe prémio internacional *

Galardão distingue Amílcar Falcão, a partir de um artigo científico sobre um novo parâmetro de interpretação de um marcador tumoral do cancro do ovário, que pode servir para melhor acompanhar a evolução da doença, conseguindo detectar as recidivas com bastante antecedência

O professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (UC), Amílcar Falcão, recebeu, ontem, o prémio internacional “Eminent Scientist of the Year 2006 Europe”, um galardão (medalha e diploma) que é atribuído, na área da “Ciência e Medicina”, a não mais de uma dúzia de pessoas por ano, pelo International Research Promotion Council (IRPC), uma organização independente originária do Reino Unido, mas, neste momento, com estruturas espalhadas em todos os continentes.
De acordo com o investigador, «a nomeação foi feita com base numa publicação específica que aborda a interpretação de marcadores tumorais, neste caso de um marcador tumoral do cancro do ovário, que se designa por CA-125». Explica Amílcar Falcão que «foram publicados vários artigos na sequência desse trabalho», intitulado “CA – 125 AUC as a new prognostic factor for patientes with ovarian cancer” e publicado na revista Gynecology Oncology (Maio de 2005), e «foi dito que havia alguma novidade e alguns resultados importantes para a área do cancro».

Satisfeito, o investigador do Laboratório de Farmacologia da Faculdade de Farmácia da UC, diz que, «neste momento», já se está «a trabalhar nestes marcadores tumorais para outro tipo de carcinomas». «A ideia é utilizar a interpretação desses marcadores para permitir um melhor acompanhamento da evolução da doença, conseguir rapidamente detectar as recidivas com bastante antecedência, permitindo aos médicos uma actuação mais eficaz», afirma Amílcar Falcão.
De acordo com Amílcar Falcão, com este novo parâmetro de análise, o prazo para detectar metástases do cancro do ovário aumentou de 60 para 180 dias. Ou seja, o marcador tumoral permite ter uma ideia, com maior antecedência, de que vai haver uma recidiva, o que permite mais precocemente atacar atacar a situação.
Por outro lado, ressalta o investigador, «estes marcadores correspondem a uma maneira relativamente simples de monitorizar o tratamento e a evolução da doença e o custo é francamente inferior a outro tipo de meios auxiliares de diagnóstico, permitindo optimizar também a parte económica, para além da qualidade de vida das doentes».

O desenvolvimento deste novo parâmetro de interpretação do marcador tumoral «veio permitir obter resultados muito animadores relativamente à expectativa de sobrevida das doentes com este cancro e à detecção mais precoce de eventuais recidivas», lê-se numa nota distribuída à comunicação social. Questionado pelos jornalistas sobre se esperava o prémio, Amílcar Falcão respondeu: «Os prémios nunca se esperam. Ele apareceu de surpresa, fui nomeado e fiquei, obviamente, muito contente».Durante a cerimónia de entrega do prémio, o reitor Seabra Santos afirmou que a instituição «não é só uma universidade com História», mas que «é também uma moderna universidade de investigação e de actualização da pesquisa científica», que acolhe «perto de quatro mil estudantes nascidos no estrangeiro, provenientes de cerca de 60 países». «O facto de o prémio ser atribuído a um pequeno conjunto de personalidades todos os anos» representa, na óptica do reitor, «garantia de qualidade do trabalho desenvolvido» na instituição de ensino superior.
Thomas Koilparampil e John Mathews foram os representantes do IRPC que participaram na cerimónia de entrega do prémio ao investigador da UC.

*Notícia retirada do jornal Diário De Coimbra

segunda-feira, 25 de setembro de 2006

PRESIDENTE

Há muito tempo que não tenho o “prazer” de o ouvir proclamar, alto e bom som, que a Direcção a que preside se pauta pelo profissionalismo, credibilidade, rigor, transparência.
Mas se deixei de o ouvir não é porque os meus sentimentos para com V.Exª. hajam sofrido alterações, é apenas porque sempre considerei que os conceitos – profissionalismo, credibilidade, rigor, transparência – não podem ser apregoados por quem da substância não tem noção.
Hoje sou forçado a escrever-lhe para o pôr ao corrente do que se passa a respeito dos Estatutos da AAC-OAF e o caos Institucional para onde V.Exª. nos atira.
Limitar-me-ei a narrar factos.
Em 26 de Maio de 2006, última Assembleia-Geral, V.Exª. convidou os sócios a aprovarem um ponto da ordem de trabalhos que necessitava da um parecer do Conselho Fiscal (matéria da sua competência) que não houve porque não podia haver, ou seja: o Conselho Fiscal não poderia dar um parecer sobre matéria de que desconhecia a origem e não aprovada, em tempo útil, pelos sócios.
Neste sentido, o Conselho Fiscal primou pela ausência, em bloco, na referida Assembleia-Geral (nexo causa-efeito); coisa nunca vista (inédita) na Académica, em qualquer sociedade institucionalizada. Posteriormente, por esta ou outra razão, o Sr. Presidente deste órgão social (fiscalizador) demitiu-se.
Não obstante, os sócios aprovaram o que a Direcção pediu para aprovar – como sempre o fazem –, e o incidente ficou “sanado”. Para muitos sócios estas coisas são bagatelas, coisas mínimas, insignificâncias!!!
Desde então tenho insistido em ser esclarecido sobre se a Direcção à qual V.Exª. preside se faz, ainda, ou não representar por força estatutária. Dito de outra forma: sem ter apresentado aos sócios o Orçamento para a época desportiva 2006/2007, sem cumprir as normas estatutárias (prazos) para apresentação das contas referentes ao exercício da época desportiva 2005/2006, e, sendo um facto incontornável, que o Conselho Fiscal e a mesa da Assembleia-Geral aos “costumes dizem nada”, não logro outra resposta que não seja a de que ninguém sabe, ninguém quer saber.
Imagine que chego mesmo a admitir, com quem tenho o ensejo de falar sobre estes assuntos, que muito provavelmente haverá compatibilidade na coexistência dos sócios com coisa nenhuma e que isso se haverá de reflectir nalguns discursos a fazer eco do comportamento da equipa do futebol profissional. Para a maior dos sócios é quanto bastará. O resto, repito, são bagatelas, coisas mínimas, insignificâncias!!!
Ora, os meus pedidos de esclarecimento da situação institucional, apesar de repetidos, foram sempre ignorados. Estou hoje a 25 de Setembro de 2006, sem ter tido a possibilidade de saber a discriminação dos “papéis” de cada um, de modo a evitar dúvidas e atritos.
Deste modo, à luz dos Estatutos qual o “papel” da Direcção? À luz dos Estatutos qual o “papel” do Conselho Fiscal? À luz dos Estatutos qual o “papel” da mesa da Assembleia-Geral? À luz dos Estatutos qual o “papel” dos sócios?
Dito isto, cheguei ao limite da expectativa, ou seja: perante tanta indefinição, perante tantos atropelos ao normativo estatutário, estará o nosso garante auditor (ROC) em condições de prestar a sua competência técnica à Instituição?
Lastimo que as coisas hajam corrido e corram desta forma. Tenho a impressão que não se está a proceder correctamente com a Instituição AAC-OAF, e, por essa via, com os sócios; sendo que para muitos destes (a maioria?) tudo isto são bagatelas, coisas mínimas, insignificâncias!!! Afinal, dizem, estamos na Super Liga; afinal, dizem, os jogadores têm os salários em dia (até quando? Não interessa hoje). Que felizes são…
Desculpe-me V.Exª este incómodo e creia-me um opositor declarado a este zingrar os sócios e os parceiros estratégicos; à sua tentativa para levar ao vazio total (institucional) e o nr. de sócio 2430 passe a ser, tão-só e simplesmente, nr. de cliente. Não. Não aceito fazer parte de uma aac-oaf - Associação Aturdida de Futebol – Organismo de Actores Frustrados -. Quero, isso sim, continuar pertença da AAC-OAF : ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE COIMBRA – ORGANISMO AUTONOMO DE FUTEBOL.

Hélder Barbosa em “Prognósticos”

É uma das promessas do futebol nacional e uma mais valia na actual equipa de Manuel Machado. O internacional Hélder Barbosa marca hoje presença em mais um “Prognósticos”, às 21h, em 107.9 ou em www.ruc.pt.

Para além dessa entrevista alargada, espaço, entre outros assuntos, para o balanço do empate da Briosa no Bessa, com o comentário e a voz dos protagonistas e para a vitória dos iniciados da AAC/OAF que ontem cilindraram o Escola Tomar por 4-0.

Soube a pouco...

A Briosa entrou mal. Nervosa, sem chama nem brilho, e como corolário de uma má exibição até ao momento, um golo sofrido, em que os centrais e Sonkaya não ficam bem na fotografia.
A estranheza de Hélder Barbosa, nem no banco se sentar, teve como justificação uma lesão, que até ao momento não sabemos de que gravidade é. Esperamos que seja um pequeno toque. O jogador esteve na Selecção durante a semana, e é natural que tenha vindo com mazelas.
Manuel Machado foi muito pragmático. A prioridade era não perder o jogo. Se o pudessemos ganhar tanto melhor.
Apostou em três trincos, dois alas e num número dez (estreia absoluta em jogos oficiais de Dame N'Doye).
Ao sofrer o golo, MM achou - e bem - que nada tinha a perder, e trocou Alexandre por um ponta de lança, Gyano, que acabou por ser muito útil.
A ganhar, Lino sobe para Ala Esquerdo, e Vinha entra para defesa esquerdo. Vitor Vinha, sejamos francos, fez um excelente jogo, dominando o seu sector, como Lino não havia feito, mas acabou por ser infeliz no golo do empate dos Boavisteiros.
A Académica por duas vezes poderia ter "matado" o jogo: a 1ª numa defesa por instinto do Guarda Redes Axadrezado, e outra por uma bola cabeceada por Gyano.
A segunda parte da Briosa foi outra coisa.
Grande atitude, "muito" meio campo, e jogadas rápidas de contra ataque sempre perigosas. O tal erro de Vinha decidiu o jogo.
Um resultado injusto, já que premiou a pior equipa. A Académica merecia ganhar, e este empate acaba por não ser mau resultado. Veremos o que aí vem.

Pedro Roma (4)- Sem culpas nos golos, cumpriu e bem.
Sonkaya (2)- Fraquinho como é seu hábito. Sem velocidade, e nem um cruzamento de forma aceitável.
Litos (3)- O 1º golo do Boavista tem culpas repartidas. No resto esteve bem.
Medeiros (3)- O mesmo que Litos.
Lino (4)- Afinal parece que tem algumas qualidades este jogador. Marca bem os livres e pontapés de canto. Um golo marcado e outro dado a marcar vale a "nota". No entanto continua sem saber defender.
Alexandre (2)-Sacrificado para se poder dar a volta ao marcador.
Brum (2)- Sem qualquer influência no jogo. Devagar e devagarinho foram as suas duas velocidades.
Pavlovic (5)- Em grande. Um jogo fantástico do médio sérvio. Luta, corre, dobra, é o "faz tudo" do meio campo da Académica. Grande jogador!
Filipe Teixeira (3)- Mais um ou dois jogos e temos homem. Já esteve melhor em relação a jogos anteriores. Vai ser muito útil.
Miguel Pedro (2)- Não gostei do rapaz. Mas vamos dar tempo ao tempo.
Dame N'Doye (4)- Terceiro jogo que vejo do Senegales, e terceiro jogo que me agrada. Tem futuro este jovem jogador.
Gyano (4)- Mudou a história do jogo. Ao entrar, impediu as subidas dos defesas Axadrezados e criou perigo constante quer em bolas de cabeça ou ao rematar rasteiro. Como já tinha dito, é um belíssimo jogador.
Vinha (3)- Não o vou queimar. Defendeu muito e bem, e fechou melhor do que Lino a sua zona. Um lance infeliz acontece aos melhores.
Piloto (2)- Entrou para refrescar o sistema defensivo.

Manuel Machado (3)- Se quisesse ganhar o jogo logo de princípio, não jogava neste esquema. Depois do golo, mexeu e bem na equipa. Aos poucos a Académica melhora.

Pedro Proença(3)-Sem influência no resultado

domingo, 24 de setembro de 2006

Boavista 2 Académica 2


Domingo, 24 de Setembro de 2006

Estádio do Bessa , na cidade do Porto

Hora do jogo:20h45m

Fim de Tarde noite bastante chuvosa ( O Outono chegou , ontem )

Árbitro : Pedro Proença de Lisboa

Constituição das equipas:

Boavista: (1) William;(37) Hálder Rosário;(3) Ricardo Silva;(4) Cissé;(30) Mário Silva;(5) Kazmerczak;(66) Tiago;(22) Lucas;(7) Zé Manel;(29) Linz;(11)Grzelak;

Suplentes: Khadim,Bessa,Essamé,Fernando Dinis,Zairi,Fary e Ricardo Sousa

Não há lesionados nem castigados

Treinador Zelijko Petrovic

Académica: (24) Pedro Roma;(16) Lino;(14) Medeiros;(21) Litos;(25) Sonkaya;(32) Pavlovic;(6) Robert Brum;(5) Alexandre;(10) Filipe Teixeira;(77) Dame;(19) Miguel Pedro;

Suplentes: Douglas,Kaká,Paulo Sérgio,Vitor Vinha,Helder Barbosa,Nuno Piloto, Gyano e Nestor

Não há lesionados
Gelson está castigado

Treinador: Manuel Machado

As equipas preparam-se para entrar em campo.Pouco público no Bessa. Com a vitória do Nacional a Académica desceu uma posição na tabela classificativa.É agora 14º classificado.

Primeira surpresa no onze da Académica.Dame no onze, H.Barbosa no banco.

Vamos à vitória Malta.

Académica vai jogar de branco, o Boavista de amarelo.

Vai sair a Académica.Começou.

Primeiros minutos , com a Académica expectante


1º livre para o Boavista.Roma agarra , mas o fiscal de linha diz que é canto.

Canto marcado sem perigo por Zé Manel.Passou o perigo.

Dizem-me agora , que H.Barbosa não joga por lesão.

5m;1º Canto para a Académica . Sem perigo

Litos faz falta na zona frontal.Ainda longe.Zé Manel bate de pé esquerdo para fora.

Grita-se pela Académica no Bessa.

Grande jogada de F.Teixeira,livrou-se bem de R.Silva rematou forte, defendeu William com dificuldade.

10m;Boa subida de Sonkaya.Centrou bem , mas não estava ninguém para concluir.

Roma ralha com a defesa, por alguma displicência num canto marcado pelo Boavista.

15m; Equipas estão encaixadas uma na outra

Grande jogada de Zé Manel,a tirar vários jogadores da Académica do seu caminho.Centrou , mas Roma agarrou com segurança.

18m;Amarelo para Dame, entrada de "carrinho" sobre Tiago.

Académica troca bem a bola no meio campo adversário.

22m;Jogada de Lucas, bom centro .Roma não consegue socar. Linz de cabeça a facturar.

A estratégia de M.Machado cai por terra.Temos que agora ir atras do prejuízo.

Mal R. Brum , tinha Filipe Teixeira a fugir pela esquerda mas preferiu rematar de muito longe ao lado.

30m; Académica tenta reagir.Vai entar Gyano.Sai Alexandre

Manuel Machado tira um médio defensivo e coloca um avançado.

35m; Livre perigoso para o Boavista.ZéManel bate bem , desvio de H.Rosário ao lado.Passou o perigo.

Boa jogada de Sonkaya.Canto para a Académica.Afasta William.

40m Remate de M.Pedro Cissé,corta com o peito Ãrbito manda seguir.

43m;Livre para a Académica.Bate Lino.GOOOOOOOOOOOOOOOLOOOOOOOO.Grande GOOOOOLOOOOO.

Vai jogar-se mais um minuto

Falta sobre Brum.Árbitro faz vista grossa..Estamos já nos descontos.

46m Intervalo

Primeira parte , bastante equilibrada.Resultado inteiramente justo.
Melhor da Académica Lino ( não só pelo grande golo que marcou).

Vai começar a segunda parte.Sai agora o Boavista.

Académica a gerir bem a posse de bola.Tranquila.

Gyano tenta fazer um chapéu a William que estava adiantado.

50m;Boa combinação entre Brum e F.Teixeira.

53m ; Amarelo para Litos que agarrou um adversário.Do livre não resultou qualquer perigo.

54m sai Dame entra Vinha

55m;Canto a favor da Académica.Bate Lino.Gyano,GOOOOOOOOOLOOOOOOO.

Cambalhota no marcador.Há agora que ter cabecinha para saber gerir este resultado.

A Académica ia fazendo o terceiro.Canto. Passou o perigo.

Livre para o Boavista.Sai Roma a soco.

60m Mais posse de Bola para a Académica, mais remates à baliza.Jogam bem os estudantes.

Vai entrar Ricardo Sousa no Boavista.Sai kazmierczak.

65m; Canto para a Académica( é o 5º ).Grande defesa de William por instinto.Esteve à vista o terceiro.

A Académica tem ganho todas as segundas bolas.Meus amigos é uma equipa transfigurada da Académica que está a jogar no Bessa.

Jogada de 3 para 2 .Sonkaya não consegue cruzar.Corta Mário Silva para canto.
Do canto, cabeçada de Gyano ao lado.

Petrovic vai mexer de novo na equipa . Vai entar Zairi.

70m; Canto para o Boavista.Bate R.Sousa, H.Rosário....golo do Boavista.

75m;jogo voltou a equilibrar.

Jogada perigosa do Boavista.Corte limpo da defesa da Académica.É um corte enorme de Vinha.

77m; Amarelo para Tiago, por falta sobre Gyano.Canto para a Académica.Mais uma vez Litos livre de marcação a cabecear para fora.William está doido com a sua defesa.

79m;Vai entrar Nuno Piloto para o Lugar de Miguel Pedro( que sai queixoso).

80m: Novo canto para a Académica.Sem perigo, desta vez.

Bom jogo da Académica.Muito serena.

Sururu entre Medeiros e Zé Manel.

85m;Vai sair Zé Manel para entrar Fary.

Canto para o Boavista,sedido por Litos.Afasta Roma a soco.Passou o perigo.

Grita-se novamente Académica no Bessa.

88m;O Boavista lança bolas para a área.A Académica serenamente alivia e sai a jogar.

90m; Livre para o Boavista.Vai bater R.Sousa.Sai directamente para fora.

Vão jogar-se mais quatro minutos.

Faltam dois minutos

Boa jogada de Brum a meio campo.Penso que não falhou um passe o jogo todo.

93m; Livre para o Boavista.Bateu Ricardo Sousa.Confusão.Aparece Fary a atirar para fora.Uff

Terminou o jogo.

Bom resultado, boa exibição.Vamos começar a acreditar.

Iniciados: Académica 4 Escola de Tomar 0

Os iniciados da Académica venceram esta manhã na Pedrulha, a Escola de Tomar por 4 bolas a 0.A Académica aproveitou este encontro e o desnível que existe entre as duas equipas para rodar alguns jogadores menos utilizados.

Boavista - Académica em directo nos Pardalitos

Como jé vem sendo hábito, os "Pardalitos do Choupal" farão em directo o jogo de logo à noite em que se defrontam Boavista e Académica.
Espera-se um jogo difícil, mas para ganhar.
Força Académica, Viva a Briosa!!!

Juvenis: Boavista-2 Académica-1

A Académica perdeu hoje, em jogo realizado no Porto, e a contar para a 2ª jornada, com o Boavista por 2-1.

Jogaram na Briosa:

Cristiano
Pejo
Marco
Afonso
Kiko
Barreto (cap)
Abrantes (Girão 40')
Rafa
Peixinho (Luís Rodrigues, 43')
Fachada (Nuno Silva, 40')
Zé Francisco

Golo da Briosa: Peixinho os 36'

Entrada em falso da Académicaque permitiu ao Boavista uma vantagem de 2 golos aos 20'. Depois disso a Académica corrigiu o posicionamento e a atitude e reduziu ainda na 1ª parte. Na segunda, excelente atitude da turma de Coimbra, à qual só faltoiu alguma sorte para concretizar o merecido golo. Boa arbitragem no geral, mas com erro grave no segundo golo do Boavista (claramenteprecedido de falta).

Perguntas e respostas

Pergunta: Uma entrevista desestabiliza uma equipa? Mesmo que seja do ex-Presidente Campos Coroa?

Resposta: Uma entrevista pode desestabilizar uma equipa, aliás existem "milhentos" casos em que isso acontece.

Pergunta: Mesmo que seja do ex-Presidente Campos Coroa ?

Resposta: Até podia ser do Ratzinger, que isso como sabemos não queria obrigatoriamente dizer, que não fosse desestabilizadora .
O que desestabiliza não é quem diz o quê, mas sim o que diz e apartir do momento em que o próprio disse, que se soubesse que a sua opinião iria ser “transformada” em entrevista e que assim não a teria dado, então está tudo explicado (e a minha opinião até é igual á dele) e no meu ponto de vista, confirma o que escrevi no post anterior.

Pergunta: Isso é de rir, ou para rir?

Se dá vontade de rir ou se é para rir não sei, mas é a minha opinião sobre o caso. Abraço

sábado, 23 de setembro de 2006

Fala o Editor

Quando se despoletou o caso do desrespeitador "morto vivo" deixei expressa a minha opinião.
Fi-lo na tentativa de se entender quanto errada é a forma de se estar e de se fazer sentir, a presença de um Presidente da Académica no macrocosmos futebolístico, mas mais ainda no nossa areópago, que é indubitavelmente a Académica. O nosso "Arconte" fez asneira. Mais uma. E fez asneira, não por ter falado. Isso queriamos nós, simples "Guerreiros de Elite", - sócios- .
Queríamos e ambicionávamos um "Arconte" dialogante, sincero, sem acidez e essencialmente bem educado. É que estas coisas da boa educação, são "servidas" no berço. Podem-se aprender, mas jamais ensinadas quando não se tem vontade de aprender.
Por não ser a primeira vez que isto acontece, começamos a acreditar, que temos somente dois "andamentos" na nossa direcção. Se por um lado os colaboradores do Eng. José Eduardo Simões não estão habilitados a falar ou a decidir, por ordem "Arcontal", a verdade é que presenciamos ou um desafinado - "Allegro mal humoris" ou um "Silencius Comprometedorus".
Desta vez foi o primeiro caso, anteriormente foi um "Caninus Raivosus", referindo-se aos "Guerreiros de Elite".
Sabe bem, conhecer-se o "Arconte". No entanto amedontramo-nos com as barbáries incontinentais que podem ser produzidas, quer no discurso ou no silêncio.
Valha-nos Zeus!!!

Uma entrevista desestabiliza uma equipa? Mesmo que seja no ex-Presidente Campos Coroa?

Isso é de rir, ou para rir?

Algumas questões ainda presentes

Penso que todos lamentamos esta alegada polémica gerada nos últimos dias, deviado a uma suposta entrevista ao ex Presidente da Associação Académica de Coimbra, Dr. Campos Coroa e que teve uma resposta "ácida" do actual Presidente.

Tenho que perguntar, a quem criticou fortemente o nosso ex presidente, devido a esta entrevista se não vivemos num estado democrático e se cada um de nós, não tem o direito a ter a sua respectiva opinião ?
Esta pergunta, é ainda reforçada pelo facto de não ter havido entrevista nenhuma, mas apenas uma mera opinião "transformada" á força em entrevista.
Todos nós temos uma opinião sobre a alegada gestão dos recursos por parte da nossa direcção, porque não o sócio Dr Campos Coroa não poderá ter a sua ?
Se o nosso ex presidente soubesse que a sua opinião iria ser publicada na comunicação social e ser posteriormente transformada em entrevista, certamente não a teria expressado pois como Académico que é, saberia á partida que isso poderia destabilizar a nossa equipa.
Por isso quanto a mim, quem não foi muito correcto, foi quem transformou uma simples opinião de sócio, numa entrevista típica de oposição.

Quanto ao nosso presidente José Eduardo Simões, também ele tem o direito a ter a sua opinião sobre o que quer que seja, no entanto não foi correcto ao expressá-la, tendo em conta que é o responsável máximo pela nossa instituição. O nosso Presidente não se pode esquecer que quando fala ou dá uma entrevista, está a falar enquanto Presidente da Associação Académica de Coimbra mesmo que eventualmente não seja essa a sua intenção, pelo que tem que ter sempre redobrada atenção ás suas próprias palavras.
No entanto quer-me também parecer, que isto não deve ter passado apenas de um acto impulsivo do mesmo, fruto de uma resposta irreflectida, talvez também criada pelo "pressing" que a comunicação social tem em criar polémica, mesmo quando elas não existem, pois como sabemos apenas o que é polémico é que vende.

Este tipo de "imbróglios" criado, não passa de uma mera tentativa de criar oposições que fazem lembrar o "podre" da nossa política portuguesa, que acaba sempre por gerar "lados" e que em nada ajudam a nossa instituição.
Quando não concordamos, devemos criticar construtivamente, apontando os erros e se possível apontando caminhos e soluções. Se nos calarmos não estaremos a ser sérios mas coniventes com algo que não concordamos e se usarmos a crítica por usar, criticando por criticar seremos então alguém incapaz de distinguir entre o que é certo e o que é errado.

Devemos todos remar para o mesmo lado e não alinhar em "polítiquices", não defendendo as atitudes de A, B ou C individuo, apenas porque estes representam X ou Y lado. Na Associação Académica de Coimbra não devem nunca existir lados.
Eu tenho a minha opinião e os senhores as vossas, não devemos alinhar por isso em "grupos" uma vez que todos pertencemos ao mesmo grupo.
Em termos "globais" não concordo com a gestão desta direcção, no entanto também não quer dizer que discorde sempre com tudo, ou no caso inverso, concordar com tudo. Ás vezes parece-me que se a actual direcção dissesse que 1+1 seria 3 que certas pessoas iriam cegamente concordar, se a actual direcção dissesse que 1+1 = 2 outros iriam também discordar. São estas apenas algumas das questões que devemos reflectir.


Saudações Académicas

Futsal : Académica 2 F.J.Antunes 1

A Académica bateu a Fundação Jorge Antunes por 2-1 no jogo de apresentação aos associados. Divanei marcou primeiro para o conjunto de Vizela.
Ainda no primeiro tempo, Russo restabeleceu a igualdade a uma bola.
Na segunda metade, a Briosa chegou à vitória no último segundo do jogo através de um livre de 10 metros cobrado exemplarmente por João Filipe.

A Académica vai participar entretanto neste fim de semana no II Quadrangular de Futsal Cidade de Tarouca.

Para além da Briosa,participam neste torneio as equipas do Benfica, do Sport Lisboa e Évora e da Arguedeira.

Académica e Sport Lisboa e Évora, jogam no sábado às 20 horas, enquanto o Benfica defronta a Arguedeira às 22.No domingo, para as 16 horas está agendado o jogo que atribuirá os 3.º e 4.º lugares, às 18 horas disputa-se a final.

Convocados do Prof. Francisco Batista para este torneio: André Sousa,Gonçalo Azambuja ,Ricardo Furtado,André Matos,Rui Moreira,João Filipe, Luizinho,Carlos Pinto,André Vaz,Ramiro Pereira,João,Pimentel,Zito,Picasso,Cláudio Sousa,Russo,DavidMateus,Ausente por lesão: José Rui

Juniores:Académica 1 U.Leiria 1

A Académica está a vencer no "Sergio Conceição" a União de Leiria por 1 bola a zero.
Estão neste momento decorridos 35m do primeiro tempo.
Tentaremos a todo o momento dar a constituição das equipas , bem como o marcador do golo.

Ao intervalo a Académica vence o Leiria por 1 a 0 , golo de Traquina aos 33m de cabeça , após cobrança de um canto.

Constituição das equipas:

Académica: Vitor; Chico; Sandro;Ivo;Cay;Elias;Telmo;J.Pereira;Traquina;M.Jorge;Galvão;
Suplentes; Gama;H.Silva;Gonçalo;Tiago;Garfo;Renan;David

U.Leiria: J.Pedro;Ayrton;Micas;Gil;Filipe;Nelson;Medeiros;Caveira;J.Martins;Tinnie;Ricardo;
Suplentes:Ivo;Jonatham;Rafa;carlos Inácio

Resultado Final:1;1

Lista de convocados para o jogo com o Boavista

O Prof. Manuel Machado,já definiu a lista de convocados do para o jogo da quarta jornada da Liga bwin, que terá lugar amanhã às 20:45 no Estádio do Bessa frente ao Boavista.
Os 20 jogadores convocados são:
24 Pedro Roma
1 Douglas
4 Káká
5 Alexandre
6 Roberto Brum
7 Hélder Barbosa
8 Paulo Sérgio
10 Filipe Teixeira
14 Medeiros
16 Lino
18 Vítor Vinha
19 Miguel Pedro
21 Litos
22 Sarmento
25 Sonkaya
28 Nuno Piloto
29 Gyano
32 Pavlovic
77 Dame
99 Nestor

Manuel Machado: “Boavista não vai querer perder dois seguidos” *

Sem se esquecer do que vale o adversário, o treinador da Briosa quer surpreendê-lo e mostrar-lhe que a lógica já não é o que era.

A equipa toda de prevenção, alerta, porque o perigo aparece, sorrateiro, a cada metro que se palmilha pelo Bessa fora. É esta a ideia de Manuel Machado, é desta maneira que quer que os seus jogadores se apresentem, sem que tal o desvie da intenção de surpreender o adversário. “O Boavista é uma equipa difícil, muito bem estruturada. No entanto, como se tem visto, as lógicas contrariam-se com eficácia e, também por isso, temos a ambição de pontuar e até de ganhar”, considera o técnico da Briosa – a quem serve de exemplo parte dos resultados do fim-de-semana. “Este é um campeonato de equilíbrios, mas também é de surpresas, porque não se esperava que o Leiria fosse ganhar a Braga ou o Paços de Ferreira a Alvalade. Ganha-se quando menos se espera e perde-se quando nada o faz prever”, afirma Manuel Machado, que não se coíbe de enviar a pressão, ainda que de forma subtil, para o lado de lá: “O Boavista jogou bem contra Sporting e Benfica, ganhou a este de forma concludente, só que em Setúbal, onde se esperava que se impusesse, perdeu e de certeza que não vai querer perder dois jogos seguidos.”

Manuel Machado quer, assim, sossegar o ímpeto dos axadrezados e, a partir daí, tirar proveito do seu previsível balanço de ataque. “Prevejo um Boavista a jogar alto, a entrar muito forte, com vontade de decidir o jogo depressa, nesse sentido prevejo grandes problemas para nós, sem que isso queira dizer que vejo tudo negro, vejo é um Boavista fortalecido e uma Académica a querer surpreender, a querer repetir o que já fez de bom esta época e evitar os erros, sobretudo os defensivos, para poder discutir e ganhar o jogo”, explica o treinador dos conimbricenses, outra vez, e desta vez por castigo (Gelson), obrigado a alterar a equipa (três jogos e três onzes), o que também já aconteceu por simples opção. “A equipa ainda está em construção, não se encontra formatada como pretendo, ainda agora recebi um jogador [Dame] três meses depois de se terem iniciado os trabalhos. Por isso, é normal que essa flutuação de onzes seja mais evidente nesta altura. Chegaremos a um ponto, contudo, em que já vai haver uma estrutura-base e em que as flutuações não vão ser, por isso, tão frequentes”, diz Manuel Machado.

*Texto retirado do jornal O Jogo

sexta-feira, 22 de setembro de 2006

Não ao Insulto

Campos Coroa, Ex.Presidente da Académica/OAF, já reagiu em declarações hoje ao Diário de Coimbra,às declarações proferidas pelo actual Presidente da Académica/OAf.
Recorde-se que José Eduardo Simões, havia apelidado Campos Coroa de "Morto-vivo". Assim o Ex-líder da Briosa acusa o actual Presidente de " ter descido ao nível do insulto pessoal e gratuito, o que nunca foi timbre dos dirigentes da Briosa e muito menos dos seus Presidentes, mas que parece tornar-se comum no seu discurso , uma vez que em tempos chegou a chamar "cães raivosos " a sócios que o criticavam".
Campos Coroa , referiria ainda que a conversa que havia tido com um jornalista , tinha sido privada e que por isso tinha ficado surpreendido com a sua publicação.Por fim Campos Coroa referiria que "o Actual Presidente da AAC/OAF não refutou as acusações de má gestão desportiva, aumento desmesurado do Passivo e incumprimento dos estatutos."

RUGBY

Os atletas da Associação Académica de Coimbra, Cláudio Tenreiro, Tiago Coelho e Rui Rodrigues foram seleccionados para representar Portugal no Campeonato da Europa de Sub-20 que se irá disputar na Polónia de 22 a 30 de Setembro.
Os Pardalitos endereçam parabéns aos briosos atletas e aos seus treinadores .

O jogo com o Boavista

Tem hoje inicio a 4ª jornada do nosso campeonato. A Briosa, tem uma deslocação teoricamente dificil. Na prática tudo se pode alterar, atendendo a que muitas vezes no futebol o que parece mais complicado se torna mais facil. Como é logico estamos todos preparados para esperar dificuldades de um adversário que a jogar em casa, perde poucas vezes, é extremamente agressivo, muito pressionante e sobretudo muito eficaz.
Contudo e apesar de ter contratado alguns jogadores de qualidade, não estaremos por certo, perto de uma missão impossivel.
A prová-lo está a derrota em Setubal, perante um adversário que apesar de ter mudado de técnico, não tem melhores argumentos que os nossos.
Sei que atravessamos um período de menor identidade, que Manuel Machado, ainda não encontrou algumas soluções (mais definitivas) para determinadas posições e que portanto, o nosso rendimento quando tal acontecer subirá por certo.
O Boavista, tem apresentado uma estrutura de jogo muito próxima de um 433. Um sector defensivo alto mas lento e que se dá mal com adversários moveis e rápidos. Um meio campo, sobretudo na estrutura central, muito agressivo e um ataque onde pontificam três jogadores com caracteristicas diferentes. Velocidade e profundidade em Zé Manel, sentido de oportunidade e remate fácil do ponta de lança Austriaco e qualidade e capacidade para criar desiquilibrios no Polaco que joga sobre a esquerda.
Manuel Machado, saberá por certo contrariar o sistema e os jogadores a dinâmica do adversário. Por isso, vamos esperar uma Académica empenhada, por certo mantendo o 4.2.3.1. com uma ou outra alteração pontual (Alexandre ? Filipe Teixeira?) e onde prevalecerá numa fase inicial a contenção para aquisição dos niveis de confiança, tão uteis para quem consegue controlar os primeiros 15 minutos de jogo (seja em casa ou fora), para depois tranquilamente impormos a nossa estratégia.
Importante mesmo é controlar os lançamentos em profundidade para as costas do nosso sector defensivo (sobretudo as solicitações a Zé Manel) e os nossos médios mentalizarem-se que também é muito importante jogar de forma muito agressiva, compacta e posicionalmente muito rigorosa atendendo a que o Boavista deve ser das equipas que em Portugal, mais segundas bolas ganha perto da área do adversário. Depois não facilitar nas bolas paradas, definir bem as marcações aos homens mais altos do Boavista e ter em atenção que o adversário posiciona (pelo menos foi assim em Setubal) muitos jogadores na zona do primeiro poste nos cantos e a estorvar a ação do guarda-redes.
Meus amigos, lutem e joguem com a irreverência de uma equipa que se apresenta em qualquer campo sem medo de perder! E não se esqueçam de um pequeno pormenor...ainda há bem pouco tempo lhes ganhámos!

BOA SORTE MALTA !

A minha Equipa

Seja treinador de bancada. Faça a sua equipa para domingo no Bessa.
A minha equipa seria:

Pedro Roma
Sarmento
Litos
Kaka
Medeiros
Alexandre
Pavlovic
Hélder Barbosa
Miguel Pedro
Filipe Teixeira
Gyano

E a sua?

quinta-feira, 21 de setembro de 2006

Rui Miguel , Racing Santander

Recebemos este mail de uma pessoa devidamente identificada. Para dar resposta a alguns comentadores, e outras personagens de méritos duvidosos:

"Como sei que apoiam os jovens jogadores que nao teem futuro na academica mas teem futuro em outros clubes envio este mail.
Aqui está a notícia do jogo de hoje Racing vs. Naval onde o Rui Miguel se estreou a jogar os 90 minutos e onde marcou dois golos. Beijinho Marta Brás


20/09/2006. Rubén Castro, con cuatro goles en la primera mitad, Rui Miguel en dos ocasiones y Momo marcaron en Reinosa

El partido disputado entre el Naval y el Racing en la puesta de largo del campo de San Francisco en Reinosa, reciente remodelado con césped de hierba artificial, terminó con triunfo verdiblanco gracias a un poker de goles conseguido por Rubén Castro, dos tantos de Rui Miguel (jugador procedente del Benfica que está a prueba en el filial) y una diana de Momo (0-7). Miguel Ángel Portugal aprovechó el encuentro disputado con motivo de las fiestas de San Mateo de la localidad cántabra para hacer debutar a Scaloni con la elástica verdiblanca.

Antes del comienzo del choque el capitán racinguista Neru hizo entrega al Presidente y al Secretario del Naval, Juan José de Castro y Arturo García respectivamente, de una camiseta JOMA de la primera equipación firmada por toda la plantilla como recuerdo de esta fecha tan señalada.

El técnico racinguista presentó un once formado por Toño en portería (no podrá jugar ante el Nástic por sanción) acompañado por una defensa de cuatro hombres: Regragui, Neru, Garay y Cristian Fernández. Cristian Portilla y Scaloni ocuparon el doble pivote mientras que las bandas fueron para Momo y Serrano. Rui Miguel y Rubén Castro fueron los hombres más adelantados.

Los 900 espectadores que se dieron cita en San Francisco disfrutaron con goles (seis en los primeros 45 minutos) y mucho juego de ataque por parte de los racinguistas. Momo abrió el marcador en el minuto 17 con un potente disparo desde fuera del área y cuatro minutos después Rubén Castro comenzó
delantero procedente del Deportivo ya había avisado en elminuto 15, enviando un disparo picado desde 35 metros que se estrelló en el larguero.

El debutante Rui Miguel, que está entrenando a las órdenes a las órdenes de Ángel Viadero en el Racing B, anotó el tercer gol racinguista al culminar una buena jugada por la banda derecha de Regragui fusilando a José Manuel desde el vértice derecho del área (m.25). Los verdiblancos seguían atacando y Rubén Castro, en 10 minutos, consiguió tres goles. En el minuto 30 Cristian Portilla combinó brillantemente con Óscar Serrano que, desmarcado en la banda izquierda, dio el pase de la muerte al ariete canario que dribló al guardameta y entró con el esférico hasta el interior de la portería. Tres minutos después Rubén Castro marcó nuevamente al aprovechar una cesión de la defensa, ganando la partida al central y superando por bajo al meta del Naval. Y para cerrar su poker particular, el punta verdiblanco culminó en el segundo palo y desde dentro del área una nueva internada por la izquierda de Serrano en el minuto 37. El jugador catalán se mostró muy activo durante todo el encuentro.

En el segundo periodo el técnico verdiblanco dio entrada a varios futbolistas del equipo juvenil de División de Honor (el guardameta Santos, Mario Ortiz, Julio Pulido y Mario Cruz), así como al portugués Ricardo, que al igual que Rui Miguel está a prueba ejercitándose con el filial. El
entrenador del Naval, José Luis López (ex jugador racinguista en la década de los 80), también dio entrada a los ocho futbolistas que esperaban en el banquillo. Las ocasiones más claras durante la segunda parte llegaron en faltas lejanas ejecutadas por Raúl y en un disparo lejano de Cristian Fernández que detuvo el cancerbero Sergio. Rui Miguel, con un potente lanzamiento desde fuera del área, fue el encargado de conseguir el séptimo gol del Racing en el minuto 71 de partido y fijar en el marcador el definitivo 0-7.

Tras la victoria ante el Naval, los verdiblancos se ejercitarán mañana a partir de las 10,30 horas en Los Campos de Sport de El Sardinero.

Agenda Académica

Futebol

Liga “Bwin.com”

4ª Jornada Estádio do Bessa 24 de Setembro de 2006 : 20.45 horas

Boavista-Académica

Juniores

5ª Jornada Estádio Sérgio Conceição , 17 h, 23 de Setembro

Académica-U.Leiria

Juvenis

2ª Jornada Estádio Perafita ( Sintético) , Matosinhos 9h, 24 de Setembro

Boavista -Académica

Iniciados

2ª Jornada Campo da Pedrulha 11h, 24 de Setembro

Académica- Escola Tomar

Secção Futebol

Taça A.F.C. Estádio Universitário 24 de Setembro 17 h

Académica –Botafogo de Cadima

Campeonato Distrital da 1ª Divisão 1 de Outubro 15h

Académica -Sanjoanense

Futsal

Campeonato 2ª Divisão 30 de Setembro

1ª Jornada Académica de Leça-Académica

Voleibol

A Académica irá disputar a Divisão A1 – Ainda não houve o sorteio


Râguebi

Campeonato Nacional da 1ª Divisão

4 ou 5 de Novembro 1ª Jornada Académica-UTAD

Basquetebol

Proliga 1ª Jornada A Académica folga a 30 de Setembro
2º Jornada Académica –Esgueira- 7 de Outubro 15h30 Pav.Multiusos

Hóquei em Patins

Campeonato 2ª Divisão

1ª Jornada 21 de Outubro 18 h Pav.Est.Univ.Coimbra
Académica-Pasteleira

Andebol

Campeonato 2ª Divisão Zona Centro

1ª Jornada 23 de Setembro

AC Sismaria -Académica

Um elefante em loja de porcelanas…

Não consegui deixar de sorrir depois de ter tomado conhecimento da ridícula resposta do elegantíssimo presidente da A.A. Coimbra (talvez esta designação seja hoje mais adaptada a uma realidade que de Académica já quase nada tem), José Eduardo Simões, às declarações prestadas pelo seu antecessor no cargo, o ex-presidente da BRIOSA, Campos Coroa.

Mais uma vez Simões mostrou bem a sua personalidade, arrogante, deselegante, sem nível intelectual e sem «savoir-faire»...

Mais uma vez mostrou a difícil convivência que o seu feitio tem com a crítica, mesmo quando esta é justa, adequada e emitida pelos canais próprios, dentro das regras de um país que se preza livre e democrático.

Às acusações de deficiente gestão desportiva, de incumprimento dos prazos de apresentação do orçamento e de aumento escandaloso do passivo, Simões responde sem argumentos de facto, descendo ao insulto personalizado e gratuito e classificando o seu antecessor de, e passo a citar, «morto-vivo».

Em boa verdade nada de surpreendente num presidente que já chamara «cães raivosos» a alguns dos seus críticos, eventualmente por se julgar omnipotente, intocável e imune à crítica, viesse ela de onde viesse e quaisquer que fossem as razões que a fundamentassem.

Esquece Simões que antes da «boleia» que apanhou para os corpos sociais da Académica, que lhe foi dada inadvertidamente pelo saudoso Dr. João Moreno (que pouco antes do seu falecimento já abrira a «pestana» e escolhera o Dr. Vasco Gervásio em detrimento de Simões, para lhe suceder), não era nada, nem ninguém na Briosa e que, nessa altura, já o Dr. Campos Coroa conduzira a instituição durante quase uma década.

Esquece também Simões que apesar da enorme diferença de receitas de que a Académica hoje dispõe, pela via da remodelação do ECC e que o Dr. Campos Coroa nunca teve, o passivo da instituição, segundo os próprios números apresentados pelo último Relatório e Contas e sancionados pelo Conselho Fiscal e pelo ROC, quase duplicou durante a sua gestão, em relação ao tempo do Dr. Campos Coroa e à forma como este deixara a instituição, do ponto de vista financeiro.

Trocado por miúdos o Dr. Campos Coroa deixara 6 milhões de euros de passivo, acumulado durante as suas Direcções, mas também durante todas as Direcções anteriores desde 1974, (data de fundação do CAC, mais tarde transformado em OAF da AAC) – número revisto e certificado pela Direcção do Dr. João Moreno, da qual o actual presidente fazia parte - para Simões o aumentar escandalosamente para mais de 11 milhões de euros (!!!), apenas durante períodos de gestão onde ocupou respectivamente os cargos de Director Financeiro ou de...Presidente da Direcção (!!!).

Esquece ainda Simões que apesar dos Orçamentos serem mais do dobro do que eram no tempo do Dr. Campos Coroa, a Académica não reflectiu a sua superioridade financeira dentro das quatro linhas, continuando sistematicamente a lutar para não descer e a colocar-se ao nível de equipas como a Naval, o Paços de Ferreira, o Gil Vicente ou o Estrela da Amadora, cujos recursos financeiros são cerca de metade daqueles de que a Briosa actualmente dispõe...

Para o provar basta lembrar Joeano e o milagroso penálti da época transacta, que nos manteve na divisão maior, quando o Orçamento apresentado no início da temporada nos colocava em termos de recursos financeiros, entre os seis primeiros do futebol nacional.

Esquece Simões, finalmente, os prazos para apresentação aos sócios do Orçamento, a apresentação aos mesmos do novo presidente do Conselho Fiscal, se é que ele de facto existe, ou as explicações que ficaram por dar sobre as sistematicamente pouco transparentes transferências de jogadores, que todos os anos vêm ocorrendo, desde que é presidente.

Mas mais do que todas estas faltas de memória, esquece Simões a instituição a que preside, descendo ao baixo nível na atitude e praticando a arruaça no discurso, posturas que em nada se coadunam com a imagem, já por ele tão desgastada, descaracterizada e depauperada, que a Académica sempre teve.

Enfim, já não nos bastava o dinheiro na mala do carro ou a sua constituição de arguido, por alegada corrupção e tráfico de influências, no exercício de funções públicas, situações em comparação com as quais os sempre lembrados cheques que bateram no poste por dificuldades de tesouraria, no tempo de Campos Coroa, são uma mera brincadeira de crianças...

Infelizmente ainda temos de aturar Simões, continuadamente igual a si próprio.

Com a elegância de um elefante em loja de porcelanas e de trombas sempre que alguém ousa questionar a vocação ditatorial ou a incompetência com que exerce o seu «pequeno poder»...

Até um dia em que a loiça se parta e em que finalmente sejam postos a nú os estragos que, de facto, fez no estabelecimento...

Notícias na hora

- JOSÉ EDUARDO SIMÕES PROMETE RESPOSTA:

Um dia depois das declarações de Campos Coroa, ex-presidente da Académica, que abriu a janela a uma possível candidatura às próximas eleições para a presidência do clube, o actual presidente, José Eduardo Simões reagiu. Contactado pelo DIÁRIO AS BEIRAS, o dirigente escusou-se a comentar o teor das palavras – que acusam a direcção no cargo de irregularidades, remetendo a resposta “para as instâncias próprias”.Questionado sobre a posição assumida por Campos Coroa, o presidente academista apenas referiu que não perde tempo “com mortos-vivos”.

- LITOS DE VOLTA AO BESSA:

Litos volta, no próximo domingo, a pisar a relva do Bessa, em jogos para a Liga. Uma oportunidade para recordar os anos marcantes de uma equipa ex-campeã nacional e... derrotá-la.

Passaram já mais de cinco anos, desde que a célebre equipa de Jaime Pacheco se sagrou campeã nacional. Nessa formação, pontificavam nomes como Ricardo, Sanchez e... Litos, nomes que fizeram as “camisolas esquisitas”, como um dirigente do Inter de Milão um dia lhes chamou, viajar pelas bocas do Mundo. O “central” Litos regressa ao Bessa, domingo à noite, onde sabe que irá encontrar muitas diferenças entre o “seu” Boavista e a equipa actual, até porque “a realidade é, hoje, muito diferente dos tempos em que joguei lá”, confessa o agora defesa da Académica. “Éramos uma equipa super competitiva, que tinha jogadores com outras características e que deu muitas alegrias aos boavisteiros. Agora, o Boavista está a tentar ser uma equipa mais competitiva, mas há anos de glória, como o que eu vivi, e outros menos bons”, diz.
Sobre o embate da 4.ª jornada da Liga, Litos só acredita na vitória, se a Briosa estiver “muito concentrada e com uma postura de respeito pelo adversário”, durante os 90 minutos. Só dessa forma, o grupo de Manuel Machado pode, segundo o ex-Málaga, conquistar a primeira vitória na Liga, depois de dois empates e de uma derrota. Saldo esse que não desmotiva o atleta que, aliás, continua a expressar a satisfação por ter assinado com a Briosa, para as próximas duas temporadas. “A proposta da Académica foi a mais concreta e a mais séria e isso para mim é o mais importante”, lembra Litos.

Mistério se Litos marcar. Instado a prever que tipo de reacção poderia acompanhar o festejo de um possível golo da sua autoria, no Bessa, Litos hesitou durante largos segundos, como quem já tinha, porventura, pensado nisso, mas ainda não tivesse chegado a uma conclusão. Afinal, por um lado passaram já muitos anos, por outro, foram “bons os momentos” vividos na altura. “Guardo para mim que reacção teria, não quero falar sobre isso, o que quero é honrar, da melhor maneira, a camisola da Académica”, concluiu.


- GELSON CUMPRE UM JOGO DE CASTIGO:

A Comissão Disciplinar da Liga de Clubes confirmou, ontem, a suspensão de Gelson. Tal como se esperava, o avançado foi suspenso por um jogo, na sequência da expulsão (por acumulação de cartões amarelos) no jogo do passado domingo, contra o Belensenses (1-1). Assim, o atleta ficará de fora das opções do técnico Manuel Machado, ficando impedido de defrontar o Boavista, domingo (20H45), no Estádio do Bessa, em partida para a 4.ª jornada da Liga.


Nota: Excertos retirados do jornal Diário as beiras

quarta-feira, 20 de setembro de 2006

Reitor queria “excepção” para Ensino Superior *

Reitor não entende como é que o Governo impõe obrigações às universidades e, ao mesmo tempo, lhes faz cortes orçamentais ao nível dos 10%. “Dificilmente se pode levar estas exigências com seriedade», comenta Seabra Santos.

Fernando Seabra Santos lamentou ontem que não se tenha «considerado uma excepção» para as universidades, nos cortes orçamentais previstos para o próximo ano, especialmente porque este é um sector que tem «um papel fundamental em todo o discurso do Governo» no que respeita à aposta na inovação ou na investigação científica.«Dificilmente se pode perceber como é que isso pode ser feito, não dotando as estruturas de capacidade financeira para esse efeito», declarou o reitor da Universidade de Coimbra, recordando a intenção do Governo de fazer contenção dos gastos públicos com cortes ao nível dos 6,5% e de impor às universidades «restrições ao nível dos 10% dos orçamentos reais».E isto tendo em conta que, em 2007, serão exigidos ao Sistema de Ensino Superior «resultados adicionais» ao nível do Compromisso para a Ciência e das transformações no âmbito do Processo de Bolonha que, garantiu Seabra Santos, colocam as universidades, incluindo a de Coimbra, numa «situação dramática». «Dificilmente se podem levar estas exigências com seriedade com contenções orçamentais do tipo das que nos são propostas», afirmou.O reitor da Universidade de Coimbra falava ontem, na tomada de posse dos órgãos sociais da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), corroborando com a preocupação de Carlos Ascenso André, um dos docentes que empossado para o Conselho Directivo, quanto aos «constrangimentos financeiros» no Ensino Superior, um «problema sério» que afectará também, obviamente, a Faculdade de Letras e alguns dos seus projectos.Concordando que a FLUC, assim como todas as Faculdades de Letras em geral, está a viver um «momento particularmente complexo» com um decréscimo do seu prestígio social, o novo membro do Conselho Directivo mostrou-se particularmente satisfeito por neste novo ano lectivo o número se ter estabilizado. Seja como for, considera «urgente» que se faça um diagnóstico da situação actual do ensino superior e se encontrem soluções.

Novos cursos garantem sobrevivência da FLUC

A diversificação da capacidade formativa da FLUC é um dos passos mas, continuou, «é um passo que tem de ter feito com prudência» tendo em conta o passado e a «essência» da Faculdade de Letras que, sublinhou, «não podem ser renegados, sob pretexto algum».

Seabra Santos elogiou a capacidade de adaptação da FLUC «às novas realidades e à nova procura» e realçou o facto de os novos cursos terem, praticamente, ditado a continuação da actividade lectiva naquela faculdade. «Não fora os novos cursos que aprovou nos últimos anos e estaríamos a deixar de lado metade dos alunos que nos últimos anos acederam à Faculdade de Letras», recordou.O reitor aproveitou ainda para destacar o «bom senso» de pais e alunos na escolha das universidades. Referindo-se ao Processo de Bolonha, Seabra Santos congratulou-se com o facto de a Universidade de Coimbra se estar a adequar a ele com «cautela e ponderação». «Verifico que esta estratégia não nos penalizou» e que as famílias e os alunos «não foram atrás dos campeões de Bolonha e apostaram na seriedade dos processos», afirmou, recordando que apenas os cursos de Engenharia Informática e Psicologia estão a funcionar este ano lectivo de acordo com as regras de Bolonha.Para além de Carlos Ascenso André, tomaram ontem posse para o Conselho Directivo da FLUC os docentes João Paulo Avelãs Nunes, Isabel Maria Lopes e João Paulo Moreira; os alunos Tiago Alves, Nuno Almeida, Simone Miranda e Ana Beatriz da Silva; e os funcionários Maria da Piedade Duarte e Maria Manuela Saraiva. Estes membros elegerão, na sua primeira reunião, aquele que será o presidente do Conselho Directivo.Tomaram ainda posse os membros da Assembleia de Representantes: Raquel Vilaça (presidente), António Almeida (vice-presidente), Maria Manuela Santos (secretária) e Pedro Rosa (secretário), estes dois últimos em representação dos funcionários e dos professores, respectivamente. João Nuno Cardoso e Alexandre Franco de Sá tomaram posse, respectivamente, como presidente e vice-presidente do Conselho Pedagógico da mesma faculdade.

*Notícia do jornal Diário de Coimbra

terça-feira, 19 de setembro de 2006

Campos Coroa diz que para voltar “quer ser como a Rainha de Inglaterra” *

A seis meses das eleições na Académica, Campos Coroa, antigo presidente da Direcção, disse hoje que, se for candidato, quer ser uma espécie de "Rainha de Inglaterra", no bom sentido e pelo simbolismo da imagem e contra aquilo que julga ser um desvirtuar da tradição. "Neste momento ainda não pensei seriamente em candidatar-me, porque ainda é cedo. No entanto, se o fizer, quero ser presidente de maneira diferente do momento em que o fui. Queria ser a Rainha de Inglaterra da Académica", afirmou à Agência Lusa Campos Coroa, salientando que, por onde passa, ainda o reconhecem como presidente da Académica, depois de ter deixado o cargo há quatro anos.

O ex-presidente disse que não é o rosto principal da oposição à actual direcção presidida por José Eduardo Simões, no entanto, não deixou de lançar algumas críticas à gestão e à política do clube. "Este ano não apresentaram contas nem orçamento para a nova temporada. Quando saí da Académica, alteraram-me as contas para ficarem bem na fotografia e demonstrarem que as deles é que eram as melhores. Agora sabe-se que o défice aumentou assustadoramente e agora não as apresentam: porquê?", questionou o ex-dirigente. Contrário "às loucuras que se estão a cometer", Campos Coroa realçou que a Académica está a descaracterizar-se, "a abrasileirar-se completamente" e relembrou que o actual presidente disse há dias, numa palestra, que "o tempo do FRA na Académica acabou", deixando para trás, no entender do antigo dirigente, o simbolismo do clube.

Quanto ao momento desportivo da equipa de futebol, Campos Coroa disse que ainda não viu a Académica em jogos oficiais por motivos pessoais, mas pediu paciência aos associados para uma equipa que teve 16 caras novas nesta temporada. Quanto à actual direcção, o ex-presidente concluiu: "Eles de futebol não percebem nada. Se eu tiver os milhões para me candidatar, aí talvez volte a concorrer para dar a volta a isto".

Notícia do jornal O jogo e do jornal Record

ENTÃO ATÉ À VISTA......

Então até à vista…. Até à vista. Nem sequer esperaste que atravessasse a rua para chegar ao passeio fronteiro. Arrancaste imediatamente.
Voltas amanhã? Para quê? Não sei. Olha, disse-me, para o saberes terias que me apanhar e para me apanhares terias que de me deixar fazer “ le trottoir” por uns tempos. Poderei estar a trabalhar para quem quer que seja: para o Kapa ou para o Ómega. Toda a gente sabe que uns fazem favores aos outros. Por vezes, para salvarem a face, mudam de pessoal, ou até de dirigentes, mas isso é como enfiar na mão uma luva nova igual à antiga.
E, sem mais, afastou-se dissipando em mim qualquer resíduo de dúvida. Cogitando, lembrei-me do dia em que me abraçaste, igual a ti própria, lasciva e de uma infidelidade perversa, mas assumida, atiraste: « Sim, querido amante, sim. Quando eu quero uma coisa obtenho-a. E quando quero duas, obtenho as duas. Sobre este ponto sempre fui categórica! CA-TE-GÓ-RI-CA! E sempre venci».
Remoendo saudades do teu peito imponente, do teu cabelo negro, eis que te colocas ao meu lado, ultrapassas, afrouxas, voltas a ultrapassar, voltas a afrouxar, e, finalmente, repetindo a manobra de sempre, pancada de frente e pancada de trás, investiste contra mim atirando-me para o passeio. Persegui-te para, pelo menos, registar a matrícula. Como de costume falsa. Não era a BRIOSA de peito imponente, de cabelo negro.
É por causa da matrícula falsa, sempre a matrícula falsa, que te vejo retesada ao volante, pálida, a persegui-los enquanto eles te perseguem, a atacá-los enquanto eles te atacam, numa sucessão de derrapagens, de acelerações, de desacelerações, de embates.
«Hum! A ideia de que alguém quer matar-te, efectivamente, não te abandona um segundo. Será isso que provoca os estados de confusão dos que te amam, te adoram? Será isso que te levou a comprar um produto com o número de registo 55-10/12, made in Julio´s Pantagrulis; cano curto, coronha maciça, carregado com cinco projécteis, cinco cartuchos metálicos com um pequeno furo do qual sai um gás que se evapora sem quase deixar vestígios; carregados de alucinogéneos, de substâncias narcóticas?
Em que instante te aperceberás do inútil ímpeto da sobrevivência, a chispa da estrela que, para se esquivar ao vórtice, se entrega ao sorvedouro? Em que instante pensarás tomar a rua deserta para alcançares a casa com o jardim das oliveiras, a casa dos veteranos, a tua única salvação?
Até à vista…. Elegante, atraente, peito impetuoso, cabelo negro---BRIOSA.

Pedro Proença é o árbitro


Para o jogo Boavista -Académica, Domingo às 20 h45 no Estádio do Bessa , na cidade do Porto foi nomeada a equipa de arbitragem chefiada pelo internacional Pedro Proença, da AF Lisboa , Director financeiro de profissão , com 35 anos de idade .Pedro Proença vai ser coadjuvado pelos Srs. Tiago Trigo e José Lima.

À atenção do OAF e da TBZ

Hoje o jornal record , referia que o Sp.Braga assinava esta manhã um protocolo com a Associação Académica da Universidade do Minho.Mais referia a noticia que o acordo se inseria na política de aproximação entre o Clube e a organização estudantil.
Meus caros , fiquei a pensar que se os outros não tendo nada em comum conseguem chegar a entendimentos, por que raio é que a nossa Académica se tem vindo a afastar sistematicamente da nossa Academia, ou porque raio é que a nossa Academia se tem afastado da nossa Académica?
Há erros das duas partes.
Ao longo dos anos infelizmente (tenho que o dizer), salvo raras excepções, quem tem estado ao leme da casa Mãe tem vindo a ter interesses divergentes do OAF.
Também penso , que da parte do OAF tem havido alguma sobranceria em relação à casa Mãe.
Problemas , de fácil resolução acumulam-se e afastam as duas Instituições.
O Sporting de Braga , apercebeu-se , que na juventude das suas escolas superiores estaria um filão a explorar.
Nós , andamos a dormir. Consideramos como adquiridos , os jovens que aos milhares , todos os anos por esta altura chegam à nossa cidade.
Há que cativa-los, alicia-los, pois a Academia tem que estar do lado da Académica.
O Organismo Autónomo e a parceria que tem com a TBZ tem que perceber que num Estádio com 30 000 lugares, tem que haver espaço para os estudantes. Há que semear primeiro, para depois colher.
Nos dois últimos jogos estiveram no “Cidade de Coimbra” cerca de 6500 adeptos. A Académica precisa de muitos mais.
Não é difícil perceber onde ir buscá-los. Os outros , já o perceberam. Vamos, nós também perder este campeonato?

Gelson fala de expulsão “injusta” *

Gelson não ficou nem um bocadinho convencido de que foi certa a sua expulsão, a primeira da sua carreira, no jogo contra o Belenenses, arbitrado por Nuno Almeida. “Foi injusta. Admito que, no primeiro amarelo, não foi penálti, mas não tentei iludir o árbitro, a queda tinha de acontecer. Depois, no segundo, aí foi uma questão de interpretação, já que tentei chegar à bola com a cabeça, não consegui e ela bateu-me na mão. Como não percebeu o que tinha acontecido, o árbitro pediu a opinião ao auxiliar e este interpretou de outra forma. É frustrante ser expulso por duas simulações que na verdade não o foram e ainda por cima até foi a primeira vez que fui expulso na minha carreira”, explica o brasileiro, ponta-de-lança que fez de número 10 e fez, também, o único golo da Académica, ainda em crise de resultados.

“Não chegou para a vitória, infelizmente. Só ainda não vencemos por pormenores, coisas mínimas que acabam por influenciar os resultados. De qualquer maneira, a evolução já é evidente, com o Belenenses já jogámos bem melhor. Pelo que já vi, temos equipa e futebol para enfrentar qualquer adversário, seja em casa ou fora, agora temos de interiorizar isso e tentar ganhar ao Boavista. Até já lhe ganhámos na pré-época, acredito que é possível fazê-lo de novo, apesar de ser um adversário difícil e de muita qualidade. Infelizmente não vou poder jogar, vou ter de ficar a torcer de fora”, refere Gelson.

*Notícia retirada do jornal OJogo

Nota: Penso que é de reconhecer o mérito no esforço do jogador dentro de campo que agora até já marca.
Quando chegou a Académica, começou por ser uma "nulidade" em campo, foi evoluindo e agora já marca golos, esperemos que continue a evoluir com o trabalho e dedicação que lhe reconhecemos.

segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Hoje há “Prognósticos” na RUC

A equipa de juvenis da Académica/OAF merece hoje destaque, em mais um “Prognósticos”, entre as 21h e as 22h, nos 107.9 ou em www.ruc.pt. A equipa comandada por André Lage, que estará presente em estúdio, venceu a Naval por 3-1, na ronda inaugural da prova.

O empate com o Belenenses, ontem à tarde, no Estádio Cidade de Coimbra, também será recordado, com o comentário habitual e com a voz dos principais intervenientes na partida.

Estou Indignado

No pretérito sábado realizou-se mais uma jornada, a 4ª, do Nacional de juniores.
Os nossos briosos atletas que nos jogos em casa, se tem que deslocar ao Luso, empataram desta feita em Vila do Conde, onde parece rezam as crónicas houve “pau de criar bicho”. Tudo portanto dentro da (a)normalidade.

Já é (a)normal, jogamos fora quando temos que jogar em casa e também já começa a ser (a)normal os processos sempre pouco dignos que a rapaziada das Caxinas utiliza para equilibrar o jogo.

Mas , o melhor estava para vir...

Então , não é que os juniores do Clube da “Arregaça”, receberam os de Guimarães no Universitário?

Uma pergunta aqui vos deixo. Como é possível , chegarmos a esta situação? Em que os nossos jogam fora ( Luso) percorrendo dezenas de quilómetros, jogando ao mesmo tempo dos seniores( veja-se a jornada anterior, em que os juniores jogaram às 17h no Luso e os Seniores às 18 h ) e os “outros” jogam na nossa casa..

Será que já não somos , Associação Académica de Coimbra?

Vinte minutos de luz, setenta de apagão

Começou bem a Académica. Muito bem mesmo. Vinte minutos de excelente futebol, com desmarcações rápidas, a bola a circular, e uma actividade ofensiva que não deixou o Belenenses respirar. Quem teve a oportunidade de ver os primeiros minutos deliciou-se, e nunca imaginaria o que estava para vir.
Depois de alguma apreensão derivado ao que se passou com a Naval, os Académicos iam sem muita esperança. Rapidamente mudaram de opinião, principalmente ao verem o festival de futebol de Hélder Barbosa, que fez gato sapato de Amaral. Acho até que a lesão do defesa direito do Belenenses, foi de origem oftalmológica, tal a variedade de fintas e "nós cegos" que levou.

O Golo, esperado, aconteceu. Um magistral centro do Barbosa, fez com que Gelson só tivesse que encostar o pé batendo (mal) Costinha.
A partir daí, acabou o sonho. Lembram-se do jogo com os Figueirenses? Assim foi o resto do tempo. Até com a particularidade de jogarmos contra 10 durante bastante tempo.
Com medo de sofrer um golo a Briosa fechou-se, e num lance de bola parada (canto) enterrou de uma forma ridícula as nossas esperanças. Sem marcação Nivaldo faz à vontade o golo do empate.
Só quando Gelson foi expulso, a Académica acordou (bem como MM) procurando o golo, mas sem atitude (lembram-se do que dissemos no último jogo?), com alguns jogadores a precisarem de um balão de oxigénio.
No entanto dois lances marcam a partida. Duas grandes penalidades CLARAS ficaram por marcar. Uma sobre Gelson, e uma mão na área do Belenenses.
Espera-se rapidamente uma vitória, não aconteça a moral ir abaixo, e depois, dificilmente se recuperará.

Nota: Essa história de pedir paciência, quando se assume que a política da Académica actual é de "bola na rede", não colhe. Isso seria se tivessemos apostado nos nossos jogadores das camadas jovens. Assim, queremos e exigimos resultados. Sem paciências nem comiserações.
Assuma-se o orçamento e façam-se pontos. Foi assim que esta direcção quis!!!

Jogadores um a um

Pedro Roma (5)- Sem culpas no golo, o nosso capitão continua a ser dos melhores guarda redes Nacionais.
Sonkaya (1)- Pesadão, sem velocidade, não cruza uma bola em ordem nem recupera quando sobe.
Litos (3)- Se há culpas no golo é claramente dos centrais. No entanto, melhor que Danilo.
Medeiros (3) Idem, aspas aspas
Lino (1)- Este Brasileiro é brincadeira. Será que não joga mais do que isto?
Pavlovic (4)- Gostei do Sérvio. Defende bem, tem altura, o que o ajuda a ganhar bolas de cabeça a meio campo, e fez o trabalho de Lino e Sonkaya, estando permanentemente atento às suas subidas.
Brum (3)- Não acrescentou nada à equipa.
Miguel Pedro (2)- Terá que jogar sem medos. É rápido mas não vai para cima do adversário. Joga muito para trás.
Helder Barbosa (5)- De longe, o melhor jogador da Académica!!!
Gelson (2)- Só faltava falhar o golo para não existir em campo...
Gyano (2)- Esteve infeliz. Mas nota-se que é jogador.
Filipe Teixeira (2)- Precisa de mais rítmo e frescura física
Nestor (1)- Não fez nada.
Raúl Esteves (1) Enerva este jogador. Não tem atitude, não corre, não luta. Muito passivo.

Manuel Machado (2) Como disse atrás, aqui não há paciências. Demorou uma eternidade a mexer na equipa. A jogar contra dez nada fez.

Nuno Almeida (1). Roubou dois penalties.